Curiosidade do mês: Movember

Deixe crescer o bigode durante 30 dias!

O movimento Movember, lançado pela Movember Foundation, uma organização não-governamental de alcance internacional, sensibiliza e alerta os homens para a importância das consultas de rotina que ajudam na prevenção de doenças como o cancro da próstata ou o cancro dos testículos. A iniciativa, que acontece pelo terceiro ano consecutivo, desafia a população masculina a manter o bigode durante 30 dias.

Novembro é o mês do bigode. Conheça, por isso, algumas curiosidades surreais sobre os pelos faciais masculinos ao longo da história:

A barba de Abraham Lincoln: Em outubro de 1860, o candidato republicano às eleições dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, recebeu uma carta de uma rapariga de 12 anos, Grace Bedell, sugerindo-lhe que usasse barba para cobrir a sua cara delgada e melhorar a sua imagem. Na carta, a jovem garantiu que, se o fizesse, ela convenceria os seus quatro irmãos e os seus pais a votar nele. Uma recomendação que certamente foi cumprida. Fonte: Bic.

A barba de Abraham Lincoln:

Em outubro de 1860, o candidato republicano às eleições dos Estados Unidos, recebeu uma carta de uma rapariga de 12 anos, Grace Bedell, sugerindo-lhe que usasse barba para cobrir a sua cara delgada e melhorar a sua imagem. Na carta, a jovem garantiu que, se o fizesse, ela convenceria os seus quatro irmãos e os seus pais a votar nele. Uma recomendação que certamente foi cumprida. Fonte: Bic.

 

 

Os primeiros Homo Sapiens já se barbeavam: O ato de barbear tem sido uma experiência humana desde há 30 mil anos. O Homo Sapiens já se barbeava com uma pedra de sílex, um caracol ou com um dente de tubarão. No entanto, foi na Idade do Bronze quando apareceram as primeiras lâminas de barbear em forma de disco ou em meia-lua.

Os primeiros Homo Sapiens já se barbeavam:

O ato de barbear tem sido uma experiência humana desde há 30 mil anos. O Homo Sapiens já se barbeava com uma pedra de sílex, um caracol ou com um dente de tubarão. No entanto, foi na Idade do Bronze quando apareceram as primeiras lâminas de barbear em forma de disco ou em meia-lua.

 

Os faraós, para a tumba com as suas lâminas: No antigo Egipto, o ato de barbear era considerado um símbolo de riqueza e poder, e inclusive os faraós eram enterrados com toda a sua coleção de utensílios para barbear. Outro exemplo (curioso) de como o ritual de barbear era um símbolo de status é o facto de os sacerdotes depilarem todo o corpo antes de entrar num templo.

Os faraós, para a tumba com as suas lâminas:

No antigo Egipto, o ato de barbear era considerado um símbolo de riqueza e poder, e inclusive os faraós eram enterrados com toda a sua coleção de utensílios para barbear. Outro exemplo (curioso) de como o ritual de barbear era um símbolo de status é o facto de os sacerdotes depilarem todo o corpo antes de entrar num templo.

 

Filosofia e moda, unidos pela barba na Grécia Antiga: Os filósofos da Grécia Antiga usavam barbas densas e povoadas porque era a tendência da época.

Filosofia e moda, unidos pela barba na Grécia Antiga:

Os filósofos da Grécia Antiga usavam barbas densas e povoadas porque era a tendência da época.

 

Um imposto “para o rosto” no Império Russo: No século XVII, o czar russo Pedro I “O Grande” instaurou um imposto por ter barba, com o objetivo de que a povoação se barbeasse, seguindo a tendência europeia, e modernizar assim a sociedade do império russo. O pelo facial estava a passar de moda e era um exemplo de falta de civilização.

Um imposto “para o rosto” no Império Russo:

No século XVII, o czar russo Pedro I “O Grande” instaurou um imposto por ter barba, com o objetivo de que a povoação se barbeasse, seguindo a tendência europeia, e modernizar assim a sociedade do império russo. O pelo facial estava a passar de moda e era um exemplo de falta de civilização.

Fonte: Mood